"Jamais, em todo o mundo, o ódio acabou com o ódio: O que acaba com o ódio é o amor" (Buda


Às vezes nos perguntamos como pode existir tanta maldade, tanto ódio no coração de algumas pessoas ainda. Ao fazerem o mal elas se sentem fortes e poderosos, erguem o troféu do orgulho achando que todos são errados menos elas.

Pessoas rancorosas não vêem defeitos e nem erros nelas mesmas, condenam e julgam as outras pessoas com tal facilidade, que parecem serem superiores a tudo.

O ódio, o rancor e o orgulho plantado no coração de alguém, é a sua própria destruição. O ódio destrói aqueles que se alimentam dele.

No livro O consolador na questão 339, sobre a natureza do ódio:

"Em se falando de perdão, poderemos ser esclarecidos quanto à natureza do ódio?

- O ódio pode traduzir-se nas chamadas aversões instintivas, dentro das quais há muito de animalidade, que cada homem alijará de si, com os valores da auto educação, a fim de que o seu entendimento seja elevado a uma condição superior. Todavia, na maior parte das vezes, o ódio é o gérmem do amor que foi sufocado e desvirtuado por um coração sem Evangelho. As grandes expressões afetivas convertidas nas paixões desorientadas, sem compreensão legítima do amor sublime, incendeiam-se no íntimo, por vezes, no instante das tempestades morais da vida, deixando atrás de si as expressões amargas do ódio, como carvões que enegrecem a alma. Só a evangelização do homem espiritual poderá conduzir as criaturas a um plano superior de compreensão, de modo a que jamais as energias afetivas se convertam em forças destruidoras do coração."

É um sentimento negativo, para quem carrega esse tipo de sentimentos, pois atrasa cada vez mais a sua evolução terrena e espiritual. Ainda se vê muitas pessoas que planejam vinganças contra os seus semelhantes - planejam e executam sem dó e sem piedade.

O ódio e o rancor são sentimentos ruins e poderosos. E onde se fazem presentes, causam discórdias e destruições e, assim, levam os seres humanos a se destruírem uns aos outros.

Joanna de Ângelis, diz que quem guarda rancor, coleciona lixo e termina muitas vezes doente.

O ódio, o rancor e o orgulho são venenos que muitos tomam, num cálice de ouro esperando que o efeito desse veneno se faça nos outros e não neles mesmos.

Vale sempre lembrar que a lei do retorno é muito poderosa, o mal feito é o mesmo que volta para quem o pratica.

Podemos lutar contra esse tipo de sentimentos impedindo-o que faça parte de nossa vidas.

Não vamos deixar que invada nossos corações! Tentemos viver longe dele e de quem o tem como fonte de energia.

Quando perceber que é alvo de tal pessoa com esse sentimentos, o melhor a se fazer é inclui-la em suas preces, vibrando paz e compaixão.

Procure viver em paz, ir em busca de motivações para viver bem com amigos e familiares;

Procure entender e compreender as pessoas ao seu redor e, quando for alvo de pessoas maldosas e rancorosas se afastar e não revidar, ainda será a melhor solução.

"..Vivei em paz...

Mantém-te em paz.

É provável que os outros te guerreiem gratuitamente, hostilizando-te a maneira de viver; entretanto, podes avançar em teu roteiro, sem guerrear a ninguém.

Para isso, contudo - para que a tranqüilidade te banhe o pensamento -, é necessário que a compaixão e a bondade te sigam todos os passos. Assume contigo mesmo o compromisso de evitar a exasperação.

Junto da serenidade, poderás analisar cada acontecimento e cada pessoa no lugar e na posição que lhes dizem respeito.

Repara, carinhosamente, os que te procuram no caminho... Todos os que surgem, aflitos ou desesperados, coléricos ou desabridos, trazem chagas ou ilusões. Prisioneiros da vaidade ou da ignorância, não souberam tolerar a luz da verdade e clamam irritadiços... Unge-te de piedade e penetra-lhes os recessos do ser, e identificarás em todos eles crianças espirituais que se sentem ultrajadas ou contundidas.

Uns acusam, outros choram. Ajuda-os, enquanto podes. Pacificando-lhes a alma, harmonizarás, ainda mais, a tua vida. Aprendamos a compreender cada mente em seu problema.

Recorda-te de que a Natureza, sempre divina em seus fundamentos, respeita a lei do equilíbrio e conserva-a sem cessar.

Ainda mesmo quando os homens se mostram desvairados, nos conflitos abertos, a Terra é sempre firme e o Sol fulgura sempre.

Viver de qualquer modo é de todos, mas viver em paz consigo mesmo é serviço de poucos."

(Emmanuel - Psicografia de Chico Xavier. Livro: Fonte Viva)

Vamos atacar o rancor e o ódio com amor. Levantar a bandeira da paz, e viver intensamente nossa vida com as pessoas que amamos.

O que importa mesmo, não são as pedras que encontramos pelo caminho, mas sim, o amor e as flores, que carregamos Dentro do nosso coração...

Paz e amor, é o que desejamos para a semana de todos!

Equipe CEIL Recanto do Saber.

Posts em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procure por Palavras-chaves
Siga-nos
  • Facebook Basic Square

Rua Engenheiro Odebrecht, 87 - Garcia
Blumenau - SC

Brasil

Fone: 55-47-3336-2204

          55-47-99729-8311

Todos os direitos reservados CEIL - Recanto do Saber