"Não se turbe o vosso coração..."


"Não se turbe o vosso coração."

Essa foi uma instrução dada por Jesus há muitos séculos, quando ele ainda vivia nesse mundo, enquanto consolava os corações de seus discípulos ao que iria acometê-lo (a cruz).

Quantas são as vezes que nos encontramos perturbados por nós mesmos, nossos pensamentos, sentimentos, diante de nossas falhas?

Esquecemo-nos que somos seres errantes, máquinas humanas que podem falhar e que estamos à prova todos os dias, quando usamos nosso livre arbítrio para fazermos nossas escolhas.

Mas, quando erramos, quando falhamos em algo, não nos limitamos apenas a corrigir o erro e seguir em frente, nos preocupamos sobre o que as outras pessoas pensarão à respeito, como eliminar o sentimento de culpa interior e os porquês sobre "por que falhei de novo?".

Ficamos presos às monoideias que só nos fazem prender-nos ao passado e a vivenciar o erro todos os dias, mesmo que em pensamento. Dessa forma, impedimos a nós mesmos de seguir em frente e ficamos numa onda de energias densas, que abrem caminho às sugestões de pensamentos inferiores dada por espíritos em baixa vibração; Deixamos de amar a nós mesmos, nos afastando dos principais objetivos de vida e do equilíbrio físico e mental.

Daria para apontar diversas consequências a que a culpa dos erros pode nos levar.

Ok! Somos humanos e podemos errar;

Mas ao perceber o erro, podemos aprender o correto e evitar que ele se repita.

Se autoperturbar não vai ajudar em nada.

Esquecer o erro e seguir em frente, sem tirar proveito dele, também não.

Mas o que podemos tirar de lição?

- Errar é oportunidade de aprender: para começar, perceber que errou é um bom sinal. Nos torna capazes de distinguir o que é certo e o que é errado. Não deixa de ser uma oportunidade de aprendizado e de obtermos melhor discernimento sobre as coisas;

- O erro proporciona maior experiência: quando erramos, passamos a compreender melhor sobre aquilo que erramos, tornando-nos conhecedores do assunto e ampliando a capacidade de escolha;

- Aprender com o erro nos torna mais empáticos: depois de errar e aprender com o erro, passamos a compreender o erro do outro e ganhamos moral para ajudá-lo a se superar;

- A experiência oportuniza a evolução: Quando aumentamos nossas experiências de vida, permitimo-nos evoluir ainda mais, espiritualmente.

Aprendemos com os nossos erros, mas também podemos aprender com os erros dos outros.

Sempre utilizando o erro alheio para aprendizado, jamais para fazer julgamentos.

Devemos sempre vigiar nossos pensamentos e atitudes e orar para fazermos sempre o melhor, sem cair nas armadilhas do erro, que podem nos perturbar posteriormente.

Mesmo assim, sentir culpa após o erro é algo natural e uns sentem mais do que outros, mas é muito importante que façamos uma reflexão para filtrar as experiências obtidas e evitar repetir o mesmo erro. Durante nossa vida, novos erros sempre ocorrerão, por isso, mantenha-se firme, utilizando as lições obtidas, não se martirize, perdoe-se e perdoa os erros alheios.

Lembre-se que temos a Boa Espiritualidade ao nosso lado e sempre temos a oportunidade de recomeçar.

..."não te permitas turbar o coração nem a mente ante as ocorrências malsucedidas." (Divaldo Franco pelo Espírito de Joanna de Ângelis, 2013 - Vida Feliz)

Com votos de uma semana de paz interior.

Equipe CEIL Recanto do Saber.

Posts em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procure por Palavras-chaves
Siga-nos
  • Facebook Basic Square

Rua Engenheiro Odebrecht, 87 - Garcia
Blumenau - SC

Brasil

Fone: 55-47-3336-2204

          55-47-99729-8311

Todos os direitos reservados CEIL - Recanto do Saber