O QUE ESPERÁVAMOS DE 2019?


Quando o ano começa a chegar ao fim, paramos apenas (muitas vezes) para refletir o que não conseguimos realizar, ou o quão difícil o ano foi.

O sentimento de frustração e fracasso são somados às justificativas e desculpas, no intuito de amenizar o que havíamos planejado, almejado, esperado... e não aconteceu. Sejam essas opções e objetivos como: iniciar uma reeducação alimentar, trocar de carro, buscar uma nova oportunidade de emprego, se dedicar mais a família e aos filhos, começar a praticar atividade física, cuidar da saúde, largar os vícios... e por aí vai.

A lista de desejos, metas e objetivos é gigantesca quando o ano novo inicia.

E por qual motivo não conseguimos realizar ou alcançar o que desejamos?

Qual o real significado ou importância que damos? Qual o esforço diário empenhamos?

São muitas as explicações que podemos obter analisando cada caso ou situação. Mas não vamos parar apenas para pensar sobre o que não aconteceu, vamos buscar analisar o que aconteceu, com o que você foi agraciado nesse ano?

Muitas das vezes não nos sentimos agradecidos, acreditamos ou visualizamos como obrigatoriedade “divina” ou ainda, castigo “divino”, as coisas que nos acontecem, ou apenas questão de sorte ou azar talvez.

Dificuldades, ou oportunidades de melhorarmos: TODOS TEMOS! Não da forma que e quando queremos... mas cada um de nós as possui.

Muitos choram por ter perdido algo ou alguém, outros choram pela oportunidade de recomeçar a vida através da mesma dor da perda. Porém ambas são as formas de continuarmos, de aprendermos, de recomeçarmos, de agradecermos.

Exemplos disso são as pessoas que perdem o emprego, onde uma vaga é aberta, proporcionando uma nova chance de recomeço profissional para outro alguém. Outro exemplo ainda, são as pessoas que perdem seus amigos e familiares e possuem em suas mãos a decisão de, pelo amor, fazer a vida de outras pessoas poder continuar, por meio da doação de órgãos.

E não seria diferente as múltiplas oportunidades que temos ao reencarnar...

A vida, os dias, as semanas, os meses e os anos são uma somatória de perdas e ganhos... ganhos e perdas. E cabe somente a cada um de nós, a chance, ou a valorização do que está acontecendo.

Vamos chorar de dor ou de amor?

Vamos continuar reclamando ou visualizar a oportunidade que temos, e começar a agradecer?

Tudo muda quando modificamos a forma como visualizamos a situação, um momento, algo ou alguém.

Tudo se valoriza ou muda de perspectiva quando passamos a confiar, acreditar e agradecer, ao invés de reclamar.

Tudo muda quando fazemos a nossa parte. Quando paramos de buscar, de forma intensa e imediata; quando deixamos de procrastinar, justificar, culpar algo/alguém; quando desaceleramos os pensamentos, sentimentos e atitudes desenfreadas, que atrasam a marcha evolutiva.

Tudo muda quando aprendemos a amar, aceitar, valorizar, aproximar e aconselhar.

Tudo muda no tempo e momento que precisa mudar, para que, assim, possamos continuar evoluindo.

Muitos sofrimentos, frustrações, doenças, ranços e desilusões ocorrem exatamente porque não respeitamos o tempo e as escolhas. Não confiamos e não damos o primeiro passo.

Quando é que você irá realmente decidir o que precisa fazer, se não for no momento em que as coisas ou a vida lhe pressionar?

Como assim?

Prometemos, deixamos para amanhã/depois a reeducação alimentar para controlar os níveis orgânicos que desencadeiam doenças e limitações. Porém quando algo acontece, somos pressionados a fazer.

Exemplos:

  • Preciso ser acometido de um infarto para mudar hábitos, deixar os vícios de lado, mudar as prioridades;

  • Preciso sofrer um acidente de carro, por não ter feito manutenção, por não ter evitado o uso e consumo de álcool e outras substâncias, alimentando o desejo de me manter “incluso” no meio/grupo de amigos, para perder pessoas, tempo, desembolsar valores;

  • Preciso passar por uma situação constrangedora ou assustadora como assalto ou acidentes, para buscar meios de prevenções e precauções;

  • Preciso de um diagnóstico de doença crônica para visualizar e valorizar cada situação, pessoa e oportunidade que fazem parte da minha vida e dos meus dias...

E para finalizarmos: quais são os motivos que você possui diariamente para agradecer?

Que tal começar somente pelos motivos e oportunidades que temos de agradecer. Por mais difícil que tenha sido o ano, por mais conflitos e discussões que os dias foram acometidos, por mais doloroso que foi cada momento, pense em cada tratamento bem sucedido (em caso de saúde), cada negociação concluída, cada conhecimento adquirido, cada ato de carinho dado ou demonstrado (um abraço apertado, uma mão no ombro, um beijo quente, um colo, um cafuné, um encostar de pé, uma comida preparada...uma oração oferecida/intercedida), ou ainda um grande sonho, cura, ato de amor alcançado.

Todos os dias temos a oportunidade de agradecer e continuar. Não deixe que a vida lhe pressione para realmente, perceber, visualizar, desejar fazer novos votos de recomeço e resignificações para nossa vida.

Ótimo período de recomeços, agradecimentos e renovações.

E os nosso votos de gratidão e reconhecimento das oportunidades de melhora que tivemos!

Equipe CEIL Recanto do Saber.

Posts em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procure por Palavras-chaves
Siga-nos
  • Facebook Basic Square

Rua Engenheiro Odebrecht, 87 - Garcia
Blumenau - SC

Brasil

Fone: 55-47-3336-2204

          55-47-99729-8311

Todos os direitos reservados CEIL - Recanto do Saber