“Autoconhecimento: um caminho que ninguém pode fazer por você”.

Falamos na última semana sobre a consciência, que nos foi dada para usarmos nesse mundo. Para pensar, analisar, refletir e que nos possibilita tomar melhores decisões, ou seja, usar melhor o nosso livre-arbítrio.

Pois bem... A nossa consciência nos permite “pensar”, mas nem sempre o que pensamos é o mais correto, pois somos “dotados” de pontos de vistas diferentes e nem sempre enxergamos o mundo e as situações sob a mesma ótica. Enxergamos de formas diferentes, porque somos diferentes. E só conseguiremos entender a forma de pensar de outros, quando entendermos essas diferenças, conhecermos os diferentes tipos de comportamentos e sua maneira de ver a vida.

Mas não adianta só querer conhecer os outros tipos e identificá-los. Convenhamos que é uma boa iniciativa. Porém, quando olhamos apenas o outro, acabamos causando certos equívocos, criando rótulos e cobrando do outro que se modifique...

Preocupa-se com o autoconhecimento desde a Grécia antiga, muito antes de Sócrates e Platão. Quando Sócrates encontrou a escrita “Conhece-te a ti mesmo”, no templo de Delfos, já se dizia que, quem conhece a si mesmo, conhece melhor os outros e ao Universo (em outras palavras). Portanto, conheça primeiro a si mesmo – já é um grande desafio e uma busca ilimitada de informações, pois, mesmo conhecendo o seu tipo de comportamento, você irá se deparar com situações das quais nunca passou, sentir sentimentos novos e mudar alguns conceitos ao longo de sua vida.

O conhecimento de si mesmo é algo infinito!

Cada ser é enigmático para si mesmo. Então, se não entenderemos 100% de nós, como queremos que os outros mudem? Se não nos conhecemos, como vamos conhecer os outros?

Algumas vantagens de nos conhecermos melhor¹:

• Confiança em nós mesmos; • Segurança nas ações; • Atitude positiva – pois sabemos como somos e não mais nos deixamos cair tão facilmente; • Mais tranquilidade diante das situações do dia a dia; • Perceber as próprias habilidades (muitas vezes desconhecidas); • Melhorar/aperfeiçoar as inabilidades.

E por que ainda é algo tão complexo e de difícil prática?

• Pressão da família - muitas vezes nossos familiares querem escolher a vida que vamos levar, se apegam ao conceito de que “filho de peixe, peixinho é”; • Paradigmas da sociedade (Matrix) a preocupação em como vou parecer se eu agir diferente dos outros; • Cultura local; • Automatismo – vivemos numa correria e acabamos vivendo no automatismo, sem nos percebermos; • Dificuldade em se autoaceitar (querer ser alguém que não é) e o medo das críticas vindas de fora;

Essas são algumas possíveis respostas para as perguntas acima.

Quanto mais nos conhecermos, melhor conseguiremos conduzir nossas vidas e trilhar caminhos mais felizes. Quem se conhece, sai do automatismo e se torna o agente de sua própria felicidade e de sua vida, seguindo seu próprio pensamento e ideais.

As dicas de leitura de semana passada permanecem², para que você possa se conhecer melhor e entender que existe uma ferramenta que possibilita, e muito, esse trabalho íntimo e que depende, apenas, de cada um.

Com desejo de uma semana de paz e de voltar os olhos a si mesmo!

Equipe CEIL.

¹Adaptado do livro "Somos todos inteligentes" - Autor: Ivanovitch Ivanov.

² Adquira esses livros (Arqueologia do Ser, Somos todos Inteligentes, Você é a Cura e Noosfera) através de nossa loja virtual ou diretamente na CEIL – Recanto do Saber.

Posts em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procure por Palavras-chaves
Siga-nos
  • Facebook Basic Square

Rua Engenheiro Odebrecht, 87 - Garcia
Blumenau - SC

Brasil

Fone: 55-47-3336-2204

          55-47-99729-8311

Todos os direitos reservados CEIL - Recanto do Saber