Por que desempenhar o melhor papel sempre?


Primeiramente vamos definir o “papel” que iremos abordar aqui. Estamos falando do papel como “funções” que temos na vida, ou seja, o papel de mãe, de pai, de esposo (a), namorado (a), chefe, empregado (a), amigo (a), irmão (a), filho (a), colega, etc.

Todos desempenhamos vários papéis durante o dia, meses, a vida toda, porém há uma busca constante pela perfeição. O tempo todo é esperado de você seu melhor desempenho, por quê?

Basicamente, somos humanos que queremos de forma natural, fazermos tudo da melhor forma possível, o tempo todo... até aí tudo bem.

Depois, vem as pessoas com quem nos relacionamos nesses mais variados papéis, e cada uma possui suas expectativas a seu respeito, ou seja, como esperariam que você fosse ou agisse.

E por fim, no dia a dia destes papéis, ambos vão tendo seus ajustes, como exemplo podemos citar um pai, que com o passar do tempo conhece mais o filho, e vice-versa. Então vão aprimorando ou não, o seu relacionamento.

Porém chegamos ao mundo de hoje, do qual não são apenas os envolvidos no seu papel que estão avaliando seu desempenho, ou seja, não basta ser apenas uma pessoa numa relação, é necessário que outras pessoas tenham essa mesma imagem, fundamentados pelas mídias sociais, ou em conversar com amigos, colegas, etc.

Chegamos aqui a uma primeira conclusão: de um lado você quer dar o seu melhor; por outro lado há as maiores expectativas e há também uma plateia acompanhando isso apenas com o intuito de acompanhar, salvo raras exceções.

Acompanhar isso hoje em dia, tem desestabilizado muitas pessoas, todos os envolvidos nos papéis, pois há uma prerrogativa de perfeição, ou melhor dizendo, um padrão pré-determinado de como ser. A famosa "grama do vizinho que é sempre mais verde", então precisa ter igual ou melhor que a do vizinho.

Por exemplo: se meu vizinho viaja com frequência, já temos um padrão a melhorar na minha casa, pois precisamos viajar com mais frequência.

E assim as situações mais cotidianas: se o namorado da amiga traz flores, pronto, mesmo com rinite alérgica, mas você precisa receber flores.

Ok, como eu resolvo isso? Solução eficaz não existe como em uma prateleira de loja, que você adquire de um modo fácil, mas também não precisa imaginar que seja algo intocável, ou muito distante de você.

Comece pelo mais simples, foque no seu papel e nos envolvidos, deixe a plateia de lado com as opiniões dela, e também deixe de lado as expetativas dos envolvidos, você não precisa buscar a perfeição em todos os papéis, você precisa ser feliz em todos seus papéis.

Vejamos mais um exemplo que talvez pode se aplicar a você: sua mãe deve ter um monte de defeitos, coisas com as quais você não concorda, mas ela não é a melhor mãe do mundo?

Deixar as expectativas dos envolvidos de lado, não é ser egoísta e pensar apenas em você, é conversar e todos terem a consciência que somos seres únicos, que cada um vê, age e reage ao mundo da sua maneira.

Vamos a parte que mais vai exigir de você? Domine seu Ego.

Fazendo um adendo aqui, se você dominar seu ego, muitos dos problemas que você acha que tem, desapareceriam.

É fácil?

Lógico que não, mas você não vai acordar amanhã e estar com seu ego dominado, é uma coisa que você irá fazer aos poucos, e logo você vai perceber a mudança em algumas situações, ou seja, o seu ego não reage da mesma forma para todos os papéis, mas apenas se conhecendo, se conhecendo mesmo, profundamente que você vai poder melhorar aos poucos dia a dia.

Fica uma tarefa para começar hoje: conhecer a si mesmo com intuito de dominar seu ego.

Não pode começar como a dieta de segunda-feira, tem que começar hoje, com pequenos passos. Não espere.

Não deposite sua felicidade nos outros, seja você feliz e distribua essa felicidade em seus papéis.

Com votos de autoconhecimento e felicidade.

Equipe CEIL Recanto do Saber.

Posts em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procure por Palavras-chaves
Siga-nos
  • Facebook Basic Square

Rua Engenheiro Odebrecht, 87 - Garcia
Blumenau - SC

Brasil

Fone: 55-47-3336-2204

          55-47-99729-8311

Todos os direitos reservados CEIL - Recanto do Saber