Saber Envelhecer Bem

Saber Envelhecer Bem Saber Viver Saber Amadurecer Nós costumamos ter pressa em tudo e quando se trata de aprender, queremos até pular etapas para chegar ao fim e se achar conhecedor de determinado assunto. 

Poucos são os que se aprofundam no que estão aprendendo e com certeza, por terem essa percepção, são melhores sucedidos na maturidade, pois já entendem que não se tem propriedade daquilo que adquiriu por “atalhos”.

Quando se trata de estudos, talvez consigamos pular etapas e ainda assim ter sucesso.

Mas quando se trata de amadurecimento, teremos bons resultados sem enfrentar todos os percalços?

Em um curso superior, você pode até pagar pra fazerem seus trabalhos mais complexos, mas você consegue adquirir profundo conhecimento daquilo que não fez? Você pode pagar alguém para ir a academia por você?

Supondo que você tivesse esta opção, quem teria os músculos definidos?

Desta forma podemos perceber que envelhecer, amadurecer e viver bem depende unicamente de nós, daquilo que fizemos com o que vamos recebendo ao longo de nossas encarnações.

Sim, ao longo das encarnações, porque as experiências passadas, embora não lembradas atualmente, estão impressas em nosso espírito.

O batalhas que travamos ao longo da nossa história mudam o fim dela, mas o que aprendemos com as batalhas modificam os caminhos que seguimos.

Ao enfrentarmos os revezes da vida, devemos observar e refletir se o que está acontecendo não fomos nós mesmos que atraímos. Costumamos colocar a culpa em circunstâncias e até em pessoas. 

Claro, há situações que nós precisamos enfrentar porque faz parte dos nossos débitos reencarnatórios, mas muitas das nossas dificuldades são criadas por nossa imaturidade. Às vezes, ficamos um tempão em situação difícil, porque permitimos que o desespero tome conta e não mudamos nossa ação e, quando enfim passa, nós percebemos que a solução não era difícil. Então o que é envelhecer bem? Podemos separar corpo e espírito nesse processo?

Um depende do outro, o espírito precisa da experiência corpórea para a sua evolução, o corpo precisa do espírito para animá-lo.

Envelhecer é um processo natural do corpo e amadurecer é saber sintonizar corpo e espírito nesse processo. Estamos em constante processo de envelhecimento, do ponto de vista físico. Nada do que fizermos impedirá o envelhecimento, o que pode ser feito é envelhecer com qualidade. Mas as pessoas confundem o que é envelhecimento com qualidade.

Alguns pensam que envelhecer bem é curtir a vida, aproveitar todas as “chances” de ser feliz, e talvez seja. Mas o que é ser feliz?

Alguns abandonaram seus filhos, não deram a atenção necessária, não supriram necessidades básicas deles porque estavam sendo “felizes” nos bares. Essa é apenas uma situação onde há o engano, ou seja, você não se responsabiliza por seus atos e vai “levando”, esperando envelhecer bem.

Alguns acham que envelhecer bem é adquirir, construir, conquistar, passam a vida em busca de bens materiais para dar aos filhos aquilo que não tiveram e, quando se aposentam para usufruir aquilo que conquistaram se sentem infelizes com um vazio enorme na alma.

Não fomos educados para envelhecer. Fomos educados para crescer, estudar, trabalhar, casar, constituir família, adquirir, aposentar e ficar velhos. Outros acham que envelhecer bem é manter um corpo em “forma”, mas que forma? Muitas cirurgias corretivas, próteses, lipoaspirações, botox e lá vai um corpo retalhado com tantos procedimentos.

Não há nada de errado em ser vaidoso e querer cuidar do nosso veículo carnal, mas sempre que houver exageros será prejudicial para o corpo e o espírito. O cuidar do nosso corpo consiste em alimentar-se bem (frutas, verduras, legumes, carnes magras), em porções pequenas, manter-se hidratado (beber água), prática de atividades físicas regulares, não fumar, enfim tentar manter hábitos saudáveis para evitar doenças que adquirimos por não observar o que ingerimos.

Hoje a indústria alimentícia nos induz ao consumo do industrializado pela praticidade, pelo sabor e criam a ilusão de que é bom, no entanto, devemos ficar atentos ao que consumimos, não podemos culpá-los, afinal, eles fazem a propaganda, mas não nos obrigam a consumir.

Enfim, hoje estamos seguindo o fluxo, meio robotizados, sem prestar atenção em nós mesmos. Vivemos na ilusão que precisamos “ter” e vamos deixando o “ser” de lado. Nos distanciamos todos os dias da espiritualidade, do encontro consigo mesmo. Nos ofendemos com tudo, queremos revidar as afrontas porque “quem fulano pensa que é pra falar assim comigo?”, nos frustramos quando não conseguimos ter um carro bom igual ao do vizinho ou quando não conseguimos uma promoção no trabalho. Alimentamos todos esses sentimentos mas não tomamos nenhuma atitude pra mudar.

Nos sabotamos todos os dias e por diversas vezes usamos a idade como justificativa. Não vamos mais estudar porque não temos mais idade pra isso, não aderimos a nenhuma atividade física porque nosso corpo dói, não mudamos de emprego porque na nossa idade está difícil para emprego, não vamos mudar nosso jeito de pensar porque já estamos velhos e sempre pensamos assim. “Qual seria a sua idade se você não soubesse quantos anos você tem?” (Confúcio) A idade física é realmente capaz de nos limitar? Nós somos capazes de aprender tudo de tudo. Claro, cada um a seu tempo, umas coisas são mais fáceis, outras mais difíceis, mais desafiadoras, mas não são impossíveis.

Só não conseguiremos se desistirmos, mas somos capazes de aprender tudo a qualquer tempo, dentro, talvez, de algumas limitações. É preciso entender que limitação não é incapacidade.

Precisamos aceitar nossa condição atual, nos adaptar a ela de maneira produtiva e positiva. Todas as idades são boas.

Nós nos autolimitamos. Não nos conhecemos o suficiente para reconhecer inabilidades e habilidades. Não nos permitimos ter defeitos, queremos nos mostrar com perfeição. Enquanto não nos reconhecermos como seres imperfeitos (sem vitimismo) e buscarmos nos melhorar, não sairemos da condição de criança.

Nosso comportamento infantilizado (inveja, orgulho, melindre, rancor, raiva) tem acompanhado gerações, causando brigas e desentendimentos entre famílias inteiras e desfazendo amizades.

Como podemos saber envelhecer em meio a tantos conflitos? Estamos envelhecendo sem amadurecer. Andamos muito preocupados com o que os outros vão pensar, com as aparências. Deixamos de ser nós mesmos para agradar aos outros. Cuidamos excessivamente com o que os olhos dos outros vêem e deixamos de lado o que realmente importa, nosso espírito. Estamos nos destruindo para parecermos o que não somos. Deus não criou este mundo para que fiquemos competindo quem tem o melhor corpo, o melhor carro, a melhor casa, Ele nos colocou aqui pra voltarmos mais apresentáveis ao plano espiritual e não levaremos o corpo, nem a casa e nem o carro.

Lembrando que este corpo é um empréstimo de Deus para lapidar nosso espírito, aliás tudo que temos de material é um empréstimo, tudo faz parte de um processo para aprimorar condutas e sentimentos. "Percebemos que amadurecemos quando vemos em nosso corpo as marcas do envelhecimento e isso nos alegra porque muitos não tiveram a mesma oportunidade.

Quando somos ofendidos e conseguimos compreender que cada um dá aquilo que tem. Quando vemos os outros vencerem e isso não nos incomoda. Quando somos afrontados e isso não nos afeta. Quando compreendemos que as situações difíceis são para nos fortalecer. Quando praticamos o bem sem a preocupação de ser reconhecidos. Quando não somos valorizados e lembramos do exemplo de humildade que Cristo nos deixou. Quando reconhecemos que nenhum sofrimento nos tornará fortes se não aprendermos com ele. Quando encontramos equilíbrio e paz em nossos sentimentos. Quando agradecemos todas as oportunidades de aprender e servir. Tudo está em nós….. Viemos errando ao longo dos anos, pois temos procurado a felicidade, a plenitude da vida em 'coisas' que estão do 'lado de fora'."

O modo como encaramos os problemas muda o nosso envelhecimento. Nossas ações do presente traçam o nosso futuro. Cada um é livre para elencar suas prioridades. Mas essas prioridades estão te dando paz de espírito ou apenas felicidade momentânea?

Envelhecer bem é viver bem o dia de hoje, é trabalhar no bem, é vencer suas más inclinações, é se importar com o próximo, é não ter vergonha de errar e recomeçar.

Viva o hoje com simplicidade, humildade e amor e envelhecerás bem e no bem. 

Com votos de paz e autoamor!

Equipe CEIL Recanto do Saber.

Posts em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procure por Palavras-chaves
Siga-nos
  • Facebook Basic Square

Rua Engenheiro Odebrecht, 87 - Garcia
Blumenau - SC

Brasil

Fone: 55-47-3336-2204

          55-47-99729-8311

Todos os direitos reservados CEIL - Recanto do Saber