Sinceridade ou grosseria?

Muitas pessoas ainda se escondem por trás da agressividade dizendo ser sinceridade. É comum hoje em dia vermos pessoas falando, ofendendo outras pessoas com suas palavras e ainda acharem que estão esperando apenas sendo sinceras. Até quando vamos achar que nossas grosserias são sinceridade? Até que ponto pode chegar a sinceridade de alguém? Essa é uma pergunta que todos nós deveríamos nos fazer diariamente: até que ponto chega a minha, a sua, a nossa? É fácil falar o que quer, o que pensa, só não é fácil voltar atrás e ver que ofendeu, que se precipitou no que falou e pedir desculpas. Devemos entender que nem sempre o ponto de vista de um é igual a do outro, o que pode ser sinceridade para uns, para outros não. Como posso saber se estou agindo com sinceridade ou com grosseria? Sinceridade não faz ninguém se sentir envergonhado e nem inferior com suas palavras, não faz ninguém ficar ofendido e nem humilhado, basta apenas observar e ver: se fosse com você, estaria tudo certo? Estaria tudo bem? Se sua resposta é não, então não está equilibrada a sua sinceridade. O hábito de falar o que quer, sem pensar se está machucando a outra pessoa com essas palavras, virou rotinas para muitas pessoas. Principalmente nos tempos de hoje, onde a paciência está cada vez mais escassa e atinge uma boa parte da população. Muitos julgam e fazem críticas, falam o que querem sem dó, só por acharem que estão sendo sinceros com as outras pessoas. A sinceridade é uma virtude que poucos sabem usar corretamente. A sinceridade bem colocada, bem usada, pode até ajudar a outra pessoa a enxergar o que não está conseguindo ver, mas quando é a sinceridade boa, a sinceridade do bem, não movida pelo orgulho em achar que deve colocar o seu ponto de vista e pronto, aceite quem quiser aceitar. Não é isso que devemos usar como sinceridade. O hábito de falar demais, falar sem pensar, pode te levar para um caminho de arrependimentos. Uma palavra mal colocada na hora e no momento errado, pode mais tarde, fazer com que se arrependa de ter falado num momento ao qual deveria ficar apenas em silêncio, "calado". Vale sempre a pena pararmos por instantes, fazermos uma reflexão e analisarmos o que vamos falar naquele momento, como a outra pessoa vai agir com que vamos falar, vai fazer bem a ela? Ou vai causar um sentimento de mal estar na outra pessoa? E se pudéssemos falar pra nós mesmos? Será que falaríamos da mesma maneira? Ou mudariamos algumas palavras? 

Como seria bom e importante pararmos por um instante e fazermos essa reflexão. Daí chegaríamos a uma conclusão, a uma resposta certa... agimos com sinceridade ou com grosseria? Vamos refletir mais sobre nossas palavras, se não faz bem a nós, não faz bem ao nosso irmão. Que possamos ter controle das nossas palavras. Que possamos educar e modificar nossos hábitos de falar. Que possamos levar consolo e serenidade nas nossas palavras, que nossas palavras possam ser luz e não escuridão, que elas possam levar consolo e não tristeza. Que nossas palavras possam levar alegria e esperança na vida de alguém. 

Que uma palavra amiga possa levar ânimo ao desanimado, força e fé diante da vida. 

Assim deveria e devem ser todas as palavras dirigidas a alguém...

Com votos de sinceridade com a leveza de fazer o bem.

Equipe CEIL Recanto do Saber.

Posts em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procure por Palavras-chaves
Siga-nos
  • Facebook Basic Square

Rua Engenheiro Odebrecht, 87 - Garcia
Blumenau - SC

Brasil

Fone: 55-47-3336-2204

          55-47-99729-8311

Todos os direitos reservados CEIL - Recanto do Saber